• Jazida de pegadas de dinossáurios de Vale de Meios

  • Lisboa e Vale do Tejo

  • Santarém

  • Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros

  • Sim

  • Acesso a partir de:

    - Alcanena (± 20 km) pela N361 até Amiais de Cima. Aí, corte para Cortiçal. Antes desta localidade siga para Vale da Trave, seguida de Barreirinhas e Pé da Pedreira*;

    - Porto de Mós (± 22 km) pela N362 até Valverde. Aí, siga na direção de Pé da Pedreira*;

    - Rio Maior (± 24 km) pela N3461 para Alcanede. No final desta localidade corte à esquerda na direção de Murteiras / Barreirinhas / Pé da Pedreira*.

     

    *Em Pé da Pedreira tome a R. Chouso do Poço.

    GPS: 39.457728, -8.821078

  • Perto do bordo sul do planalto de Sto. António, a cerca de 1 km a norte da povoação de Pé da Pedreira, num local conhecido por Vale de Meios e durante os trabalhos de exploração de 3 pedreiras interligadas de pedra da calçada, foi descoberta esta jazida, com uma elevada quantidade de pegadas e trilhos de dinossáurios em bom estado de conservação, razão pela qual é a maior e mais significativa jazida com pegadas de terópodes do Jurássico Médio da Península Ibérica e uma das mais importantes a nível mundial.

    Aqui, é possível observar centenas de pegadas tridáctilas de dinossáurios terópodes, muitas delas constituindo trilhos, com orientação geral NW-SE. Cruzam, pelo menos, duas pistas de grandes saurópodes.

    Os contornos nítidos das pegadas permitem conhecer a morfologia dos pés dos animais que as produziram e estudar aspetos da sua anatomia, locomoção e comportamento. A altura do solo à anca desses animais estaria entre 2 a 3 m, deslocando-se com uma velocidade entre os 5-6 km/h.

    Estes animais terão produzido as pegadas, num terreno plano e horizontal, inundado e lamacento, junto às margens de uma laguna litoral. Este substrato transformou-se nos calcários que albergam as pegadas e correspondem a calcários micríticos da formação de serra de Aire. Estão datados do Jurássico Médio, mais concretamente do andar Batoniano (166-168 milhões de anos).

    Vale de Meios é, pois, a maior e mais significativa jazida com pegadas de terópodes do Jurássico Médio da Península Ibérica, tendo em conta a elevada quantidade de pegadas existentes e o seu excelente estado de conservação.

    Desde 2003 está classificada, junto com a jazida de Algar dos Potes, como de Interesse Municipal.

     

    Calcário – do latim calcariu, relativo à cal. Rocha sedimentar constituída por carbonato de cálcio.

    Dinossáurio - provém da palavra "dinosauria", criada por um cientista inglês para designar um grupo de organismos de que apenas se conhecem fósseis. "Dinossáurio" provém do grego "deinós" que significa "espantoso, terrível, perigoso, medonho" e "saûro" que significa "lagarto".

    Jurássico - período geológico no qual dominaram os dinossáurios e em que o desenvolvimento da vegetação era abundante. Durou cerca de 54 milhões de anos, sensivelmente entre 208 a 144 milhões de anos atrás.

    Micrite – contração do inglês “microcrystalline calcite”. Aglomerado de pequeníssimos grãos de calcite microcristalina e que constitui p. ex. os calcários micríticos. Indica que houve deposição em águas calmas.

    Pegadas tridáctilas - pegadas em que as marcas das patas apresentam três dedos.

    Saurópodes - dinossáurios pertencentes à Subordem Sauropoda. Eram herbívoros quadrúpedes, com cabeça pequena, pescoço e cauda compridos e patas que lembram as dos elefantes.

    Terópodes - dinossáurios pertencentes à Subordem Theropoda. Essencialmente carnívoros e omnívoros. Deslocavam-se apenas sobre duas patas (bípedes).

  • Internacional